top of page
Buscar
  • Foto do escritorRamko

O número de imóveis à venda em Portugal aumentou 10% no último ano

Em Portugal, verifica-se uma escassez de imóveis disponíveis no mercado da habitação para satisfazer a procura existente, especialmente a preços acessíveis. Mas a reta final do ano de 2023 trouxe uma boa notícia: a oferta de casas para venda no quarto trimestre de 2023 aumentou 10% face ao que estava disponível no mesmo período de 2022, segundo um estudo do idealista. Para além da chegada de novos empreendimentos ao mercado, a par da entrada em vigor das medidas do Mais Habitação, o arrefecimento da procura de habitação devido ao clima de incerteza, à subida das taxas de juro e à perda de poder de compra pode também ajudar a explicar este crescimento da oferta, através da redução do número de transações. Vamos saber mais sobre como o número de imóveis à venda em Portugal aumentou 10% no ano passado.


Oferta de casas para comprar sobe em 12 grandes cidades de Portugal


A oferta de casas para venda em Portugal aumentou em 12 capitais de distrito ao longo do último ano. A liderar a lista está Leiria (42,6%), seguida de Évora (37,3%), Viana do Castelo (34,7%), Portalegre (25,3%) e Viseu (23,3%) como as capitais de distrito onde o stock disponível para comprar mais aumentou. Seguiram-se Braga (23%), Vila Real (22%), Beja (21,7%), Setúbal (19,1%), Faro (15%), Castelo Branco (11%) e Coimbra (10,3%).Por outro lado, houve também sete cidades que viram a oferta de habitação disponível para compra diminuir neste período. Santarém foi a cidade onde a oferta mais caiu (-13,9%), seguida de Ponta Delgada (-12,5%), Porto (-12,2%), Lisboa (-4,7%), Aveiro (-3,2%), Bragança (-2,1%) e Funchal (-0,8%), segundo o mesmo estudo do idealista, o principal marketplace imobiliário do sul da Europa.


Fornecimento de casas para venda por capitais de distrito


Variação entre o 4º trimestre de 2023 e o mesmo período de 2022



Mais casas à venda em quase todos os distritos e ilhas portuguesas Olhando para os distritos e ilhas portuguesas com amostras representativas, é evidente que o número de casas à venda aumentou em praticamente todos os territórios ao longo do último ano, com Castelo Branco (17,8%) a liderar o caminho.Leiria (24%), Faro (19,9%), Beja (19,7%), Évora (19,2%), Portalegre (17,8%), Viana do Castelo (17,2%), Viseu (16,5%), Setúbal (15,4%), Vila Real (14,4%), Bragança (13,8%), Braga (12,8%) e Lisboa (8,1%) seguem no ranking das casas à venda. O aumento das casas no mercado foi menos significativo em Coimbra (5,8 por cento), Aveiro (4,1 por cento), Ilha da Madeira (3,1 por cento), Porto (2,9 por cento) e Santarém (1,7 por cento).Refira-se ainda que houve uma ilha onde o stock de casas à venda caiu no último ano: São Miguel, na ordem dos -14,7 por cento, conclui o estudo.


Fornecimento de casas para venda por distrito e ilha


Variação entre o 4º trimestre de 2023 e o mesmo período de 2022




11 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page